Não interessa aos libertários saber quantos são, pois nas suas hostes não se recrutam agentes do poder e muito menos se atribuem números aos militantes. (carlos fonseca)

"Sou um bug ou dois na minha vida". (lena berardo)

segunda-feira, 25 de julho de 2011

Afucking mazing!!!, como dizia a outra...


Há 25 anos atrás estava eu na Praça da República sentada numa esplanada a pensar:
"que chatice... vêm cá (a Lisboa - Portugal) os Lloyd Cole & Commotions e eu não tenho dinheiro para os ir ver". :|
Ontem fui ver (e ouvir) Lloyd Cole. Aqui. Na serra!
Algo está errado ou os tempos mudaram muito. Vou pensar que esta última tese é que está correcta.
Lá estive. Foi bom. Gostei. :)
No final fui pedir um autógrafo. Eu e a Rute e mais umas pessoas que eu não conhecia.
Dei-lhe o meu bilhete que ganhei num concurso do facebook através da Rádio Boa Nova, e ele devolveu-me sem o assinar. Eu tentei dar-lho novamente mas um rapaz ao lado dele informou-me que ele oferecia os cd autografados. Então, o Lloyd deu-me um cd autografado e ainda tirámos uma foto os dois. Juntos, claro.
Agradeci e fiquei à espera da Rute que tinha estado todo o concerto a dizer: "No final vou aos bastidores pedir-lhe um autógrafo e dar-lhe um beijo. Ando há anos para lhe dar um beijo!".
Ok!, dizia eu.
Quando ela vem, tambem de cd na mão diz-me:
- Oh Lena nem sabes o que ele me disse.
- Então?
- Olha depois da foto perguntei-lhe se lhe podia dar um beijo e ele respondeu: "Não. Sou casado!". Foi o maior fora da minha vida!
A cara dela tinha uma enorme expressão de desilusão com uma vontade de rir imensa. Tudo misturado.
Eu, rebolei a rir. :D

8 comentários:

olinda silva disse...

Estou cheia de inveja "da branca", como dizia a outra...
Quem me dera mesmo com um fora!?
Beijos dos meus...

joaninha versus escaravelho disse...

O momento foi hilariante! :)
Beijitos

Hugo Nofx disse...

Adoro-te Joaninha! No outro dia quando vi na Agenda da Epilepsia Emocional este concerto, pensei exactamente em ti, juro! E era para te perguntar se ias, mas depois esqueci-me. Há muitos anos, tive uma professora de História (6ºano), que me gravou um álbum dele em cassete. Ainda com os Commotions, claro está! Curiosamente essa professora ainda vive na vila onde moro. E ela adora-me. Mas parece-me que é carência muito acentuada, e por isso ela também me assusta. Durante toda a vida vi-a com um sr. mais velho que penso ser o pai. Depois esse sr. desapareceu e ela alterou-se. Muitas vezes era ela que me chamava na rua para falar. Antes não acontecia isso. Depois começou a dar-se com pessoal que nada tem a ver com ela, e trata-se de pessoal muito pouco recomendável. Ela libertou-se, mas parece perdida com esta liberdade. Eu gostava de a perceber melhor, mas como já te disse, Joaninha, ela às vezes assusta-me.
beijos.

joaninha versus escaravelho disse...

Hmmm... Fazendo de conta que isto é o correio sentimental tenho a dizer-te que se queres umas noites de sexo estás garantido. Se queiseres literatura com um caso idêntico também te posso indicar. :D
ahahah
Se calhar não é nada disto e eu a gozar e depois ainda vou ser castigada... :| É melhor não dizer palermices.
Beijocas

Shadow One disse...

Conheço uma gaja adulta, casada, mãe de filhos, que chorou com a morte do Angélico.

Ha! Ha! Ha!
O meu cromo é melhor que o teu!

joaninha versus escaravelho disse...

Esta cena da televisão e do controlo das massas... Não nos podemos deixar apanhar... :)
A minha história teve já segundo episódio, mas eu nem o vou contar à minha amiga porque receio algo grave a partir daí, mas aqui entre nós: uma outra amiga que tabém lá esteve e na primeira fila, tirou uma foto abraçada ao gajo. Foi ele que assim quis e ela disse-me que até se sentiu mal porque ele estava todo transpirado. ahahah

Fragoso disse...

lol muito bom
eixx já não há musicos como antigamente que se aproveitam das groupies xD

joaninha versus escaravelho disse...

Oh Rui, ahahahha! :D