Não interessa aos libertários saber quantos são, pois nas suas hostes não se recrutam agentes do poder e muito menos se atribuem números aos militantes. (carlos fonseca)

"Sou um bug ou dois na minha vida". (lena berardo)

quarta-feira, 17 de fevereiro de 2010

Mais uma vez os Et´s


Como disse no post anterior fui ver o Psycho e lembrei-me da noite de terça-feira passada.
Estava eu muito bem a fazer um dos meus trabalhos que tinha que entregar na quarta-feira até à meia-noite deviam ser umas 20h30m quando comecei a ouvir uns gritos na rua do lado do campo. Não do lado da cidade. Se costumam vir ao meu blog já viram as fotografias do dia em que choveram cães e até ficou um dentro dum poço. Isso é do lado do campo que é para onde dá a janela da sala, a varanda da cozinha e a janela de um quarto que está ali guardado para quando "ela" agora não vou dizer quem quiser cá vir dormir. Dizia eu que ouvi uns gritos e pensei - que coisa estranha, não me parece um gato, quero dizer, parecia e não parecia, era mais forte...
Continuei a pensar porque sim eu sou uma mulher que pensa e já sei que agora vão começar as piadas a dizerem ah ah ah as mulheres a pensar ah ah ah mas eu vou fazer de conta que não ouvi nada e vou continuar o meu relato desta história tão sinistra que até dava bem para o enredo de um filme do Hitchcock se ele já não tivesse falecido deus o tenha em descanso que apesar de eu não ser católica não quero que falte nada ao senhor. O Hitchcock, claro.
Eu cá continuo a achar que era mais um dos meus amigos ET´s mas eles dizem que não...
Então, depois de pensar outra vez e ter pensado que poderia ser um cão, mas não porque os cães têm a voz mais rouca e só se fosse capado mas eu nunca vi um cão capado só os gatos é que se capam, fui à janela.
Não se via nada e os gritos eram bastante aflitivos. Parecia que o som andava ali no quintal da vizinha dum lado para o outro mas assim uma cena muito rápida. Assustadora mesmo.
Abri a janela e lá andava "aquilo" vou-lhe chamar "aquilo" porque à data não sabia o que era e ainda nem hoje tenho a certeza. Vou fazer aqui uma pausa que me dói o braço de pintar hoje durante muito tempo.
Ok! Já descansei. Então, continuando, fiz umas pausas e coloquei umas vírgulas para vos tornar a leitura mais fácil mas eu não gosto nada de vírgulas. Se as coloco é só para não gerar mal entendidos. Bom, dizia eu, abri a janela e lá andava aquilo dum lado para o outro mas com uma rapidez que pensei imediatamente que devia ser um pássaro.
Um pássaro?? À noite?? Não conheço nenhum pássaro que grite assim deve ser mas é um lobisomem. Mal acabei de pensar isto fechei de repente a janela. E se ele me viu a espreitar e a luz acesa e vem directo a mim?
Ai credo! Mas aquilo não se calava. Ia e vinha ia e vinha (não coloquem aqui conotações maldosas seus marotos...) e eu abria e fechava a janela, abria e fechava até que aquilo se foi embora pelo campo abaixo direitinho à Bobadela.
Sentei-me outra vez a trabalhar no meu trabalho e eis se não quando de repente aí volta aquilo aos gritos e eu já estava aflita porque estava a chegar a hora de sair de casa para ir ver o filme do Hitchcock não o de hoje mas sim o da semana passada e como iria eu sair de casa tranquila. E se aquilo me atacava? Como é que era? Ando sempre sozinha e nunca ninguém iria descobrir o que me aconteceu.
Por fim os guinchos lá se foram mas aquilo ainda por ali andou doidinho de um lado para o outro. E se voava... só podia ser em voo...
Bem, resumindo, lá fui ao cinema e vim e não ouvi mais aquilo. No dia seguinte a vizinha disse.me que devia ser uma coruja que elas ficam assim doidinhas de vez em quando e têm aquele tipo de atitudes que eu descrevi. A D. F. da minha escola também confirmou e eu assim já ando mais descansada mas vou comprar uma lanterna daquelas que dá para ver ao longe.
Mesmo assim cá para mim devia ser um Et destes novos que andam por aí e bebem uns copos e não estão habituados e deu-lhe para "aquilo". :/

6 comentários:

Shadow One disse...

Ha! Ha! Ha!

Viste "Os Pássaros" em vez do "Psycho".

Miuda da cidade a viver no campo...

joaninha versus escaravelho disse...

Não pá! Não me baralhes.
Ontem vi o Psycho, para a semana é que é Os Pássaros e na semana passada, no dia da coruja foi o Vertigo, A mulher que viveu duas vezes.
Eu sei que sou a miúda da cidade que vive no campo, apesar de já não me sentir assim tão miúda, mas que posso fazer?...
O que não entendo é como há alguém que consegue ler estas histórias... ahahahaahah

Zeca Portuga disse...

Existem imuneras aves nocturnas cujo "canto" varia ao longo do ano e chega a ter semelhanças com gritos humanos.

O mais "assustador" é de uma ave da familia das "abetardas". Foram introduzidos alguns exemplares no centro e norte de Portugal, mas em lugares pouco habitados.

Se ouvisses uma dessas... bem! nem te conto!!!

Pior: essas aves respondem á sua emita

joaninha versus escaravelho disse...

Para a próxima emito da janela uns gritos parecidos com os dela para ver no que dá...
Depois conto. :)

Zigue Zague disse...

Eu estou em crer que podia ser um morcego mutante, ou gritante. Nem sei que som fazem os morcegos, mas sei que podem agarrar-se aos cabelos, que isso já me contaram.

joaninha versus escaravelho disse...

Pois, estás a ver?
Por isso é que eu fechava e abria a janela. Estava com medo disso.
Mas "aquilo" voava baixo. O meu medo era se "aquilo" mandava um salto até ao terceiro andar que é mais ao menos a distância a que me encontrava do solo onde "aquilo" andava.
Mas essa ideia do morcego mutante também é interessante. :)