Não interessa aos libertários saber quantos são, pois nas suas hostes não se recrutam agentes do poder e muito menos se atribuem números aos militantes. (carlos fonseca)

"Sou um bug ou dois na minha vida". (lena berardo)

terça-feira, 18 de novembro de 2008

Nós somos feitos da mesma matéria dos sonhos.




O meu tópico do MSN desde há muito tempo...

Tenho andado a pensar nisto.
Os sonhos não são reais, não são visíveis, não têm dimensões...
Voltarei sempre à mesma questão: Quem sou eu?

Será importante ter resposta a esta pergunta?
Seria diferente? Pensaria e actuaria de outra forma?
...
Vi este fim de semana um filme sobre a vida de João Paulo I.
Fiquei a conhecer a máxima de Deus "Não faças aos outros o que não queres que te façam a ti".
Este tem sido o meu princípio de vida. Sem saber que era tão importante para a igreja católica...
Não sou católica. Não sou nada.
Sou eu.
Um misto do que nasceu comigo, do meu pai, da minha mãe, das minhas células ( que são só minhas), do que li, aprendi, vi, ouvi, cheirei, vivi...
Mas essas partes todas que me definem, não são a sua junção. São apenas o que senti de todas.
Também sou o que não gosto, o que não desejo, o que não conheço...

Não gosto de falar e exprimir o que achei ou gostei ou que ilações tirei dum filme que tenha visto, dum livro que li, de algo que vi na rua...
Não penso nessas coisas.
Sinto!
Pura e simplesmente, sinto!
Absorvo tudo. Pareço uma esponja :)
E deixo que esse sentimento me invada e me forme. Se junte aos outros que já coabitam em mim.
E se modificarem algum deles é porque tinha que ser assim...
Não percebo quando alguém me diz que "cresceu".
Eu metamorfoseio-me!

Como todos nós, tenho as minhas ideias sobre as coisas da vida, a política, a saúde, a felicidade...
Não escrevo aqui para as expor.
Escrevo porque sinto necessidade de "mandar" para fora todos estes pensamentos e sentimentos que vou absorvendo e que transbordam.


Deve ser da solidão...

Nenhum comentário: